O Primeiro Beijo

Não deve estar longe, certamente já esteve bem mais longe. Já são 13 anos e começa a despertar para um mundo menos infantil. As perguntas já são mais sérias e a necessidade de repetir certos conselhos aumenta exponencialmente. Mais cedo que tarde sei que vou ouvir “mãe tenho namorado, mãe dei o primeiro beijo”. Para que seja um momento bonito, mágico e perfeito (quem não se lembra do primeiro beijo? ) preciso que ela entenda e nunca se esqueça que a segurança vem sempre primeiro.

Não é nada que já não se repita desde que são pequenos, não é nada que as pessoas que privam connosco já não saibam. Abraços sim, beijos não. Já tivemos umas quantas chatices (reacções) com beijos ao longo destes 13 anos. Ao contrário das mãos, que se lavam com água e sabão (a maneira mais eficaz de eliminar proteínas), não podemos enfiar sabão dentro da boca.

Tenho lido algumas comentários que dizem “basta lavar a boca” ou “basta lavar os dentes” mas NÃO É ASSIM!

Mas há uma grande diferença entre um beijo na bochecha e um beijo ‘Francês’ (se é que me entendem). Um beijo na bochecha não é passível de causar anafilaxia se a pele se encontrar intacta (ie sem feridas abertas). Pode causar dermatite de contacto, urticária de contacto, prurido e/ou vermelhão. Na grande maioria das vezes, lavando a zona de contacto com água e sabão é suficiente para resolver (casos mais raros anti-histamínico). É chato e deve/pode ser evitado. Sem grande stress, apenas pedimos abraços em vez de beijos.

  • Estão a ver os pricks testes? Há reacção porque é levantada a pele e havendo reacção há formação de uma pápula. No caso dos beijos na bochecha, estando a pele intacta, a reacção é de contato.

Um beijo onde haja troca de saliva, aí sim, é caso para ter outra atenção. É neste PRIMEIRO BEIJO (e seguintes claro) que se centram as minhas preocupações. É importante salientar que:

  • não é suficiente lavar os dentes
  • não é suficiente lavar a boca
  • não é suficiente comer pastilha elástica
  • não é suficiente bochechar a boca
  • Elixir não resolve nem elimina proteína

Our saliva contains food protein after we eat. In some cases, that residual protein can linger, even after chewing gum or brushing teeth.

A kiss on the cheek may transfer a bit of this protein to the skin, which can then cause an allergic reaction. Usually skin reactions are localized, but in rare cases they can escalate. Kissing on the lips poses more of a risk. In fact, during a passionate French kiss, there is an exchange of saliva along with residual traces of food.

‘A nossa saliva contém proteínas alimentares depois que comermos. Em alguns casos, essa proteína residual pode permanecer, mesmo depois de comer pastilha ou escovar os dentes.

Um beijo na bochecha pode transferir um pouco dessa proteína para a pele, o que pode causar uma reacção alérgica. Geralmente, as reacções cutâneas são localizadas, mas, em casos raros, podem aumentar. Beijar nos lábios representa um risco maior. De fato, durante um beijo francês apaixonado, há uma troca de saliva junto com vestígios residuais de comida.’

Estudos (ver links no final) indicam que após comer o alergéneo:

  • Deve lavar os dentes
  • 2/4h depois voltar a lavar os dentes
  • Comer uma refeição sem alergéneo presente e após 4h no mínimo (há estudos que apontam para 16-24h) já se pode beijar “como nos filmes”.

These cases were found to have the medical history of IgE mediated food allergy, a very high total and specific serum IgE level and very strong family history of allergy.

‘Constatou-se que esses casos têm histórico médico de alergia alimentar mediada por IgE, nível sérico total e específico de IgE muito alto e histórico familiar de alergia muito forte.’

No caso da Matilde, que tem um historial de anafilaxia e choque anafilático, com um coma pelo caminho, é de extrema importância que ela nunca se esqueça o que um beijo pode desencadear.  Também é essencial que o futuro namorado o saiba, aceite e respeite de modo a que o primeiro beijo seja uma experiência para recordar, pelos melhores motivos.

https://www.allergicliving.com/2018/02/06/food-allergies-hot-tips-for-kissing-safely/

https://www.allergylifestyle.com/kissing-with-allergies/

https://community.kidswithfoodallergies.org/blog/kisses-candies-and-parties-talk-with-your-food-allergic-child-to-prevent-allergy-emergencies

https://www.ecarf.org/en/nahrungsmittelallergie-was-ist-beim-kuessen-zu-beachten/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20842899

Disclaimer: As informações fornecidas são apenas para fins informativos e não se destinam a substituir um aconselhamento, diagnóstico ou tratamento médico profissional.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s